segunda-feira, novembro 07, 2011

Tão simples quanto isso...

«As pessoas, por vezes, falam muito e dizem muitas coisas. Só que tudo na vida se lê nas entrelinhas. Tudo. E de pouco ou nada serve um discurso bonito se esvaziado de conteúdo ou expressão prática. É que as pessoas, mais do que pelas palavras, medem-se sobretudo pelos gestos. Pelo que fazem ou não fazem em cada momento. Pela disponibilidade. E pelas escolhas. As pessoas também se aferem pelas escolhas. Tal como os afectos. O amor nem sempre se revela em portentosas e pontuais manifestações. O amor afere-se a cada dia, todos os dias, e sempre nos detalhes, nos pequenos pormenores. E na importância que se dá aos mesmos. Ou não.
Tão simples quanto isso...»

1 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Talvez seja ou até nem por isso… No entanto a vida ensinou-me a viver, cada momento e torná-lo mágico como se fosse o último da minha vida, no entanto são os pequenos momentos que fazem com que nada seja tão pequeno, e que nos orientam no sentido de aprender algo.
Acredito em tudo que nos faz bem, não quero deixar de fazer em cada momento, tudo aquilo que penso e quero fazer, o que de dentro de mim vem, coordena e delimita a minha forma, de agir e pensar.
Ciúmes e possessões que sentimos nada devemos esconder, ora parecemos calmos, mas a agressividade e magnetismo escondidos internamente dentro de nós fazem a personalidade genuína sendo afáveis, sociáveis, reservados, corteses e ainda que pareça estar pouco afastados da acção, em realidade estamos observando tudo com olhar crítico.
Acredito que nos sentimentos dominantes, nos beijos repentinos, profundos, mágicos e por vezes trágicos em nós mesmos, nasce novamente a cada dia, e renova todos os sentidos! Acredito na força de um olhar, na força das palavras, nos gestos, nos comportamentos, na verdade, espírito, corpo e mente.
Acredito que as pessoas devem dar a oportunidade, reagir, dialogar, e não ficar na indiferença, no egocentrismo, retidas em pensamentos vagos que as fazem pensar no embaraço conquistado.
Acredito na acção, destino, passado ou realidade, como a água que flui, escorre, nascente em ser, cria e se mostra, presente, como um simples gosto de ti, que adormece, desperta, acende, incendeia, arde fogosamente, transforma, amor entre tantos outros amores!
Sem guerra, mas batalhando, se unindo, um só simples e supremo entre estas palavras,
para confundir ou sentir... Abrimos a alma e mostramos para quem queremos... esta é chave que coordena grande parte da minha vida.

Ass:106191

novembro 13, 2011 8:06 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial