segunda-feira, janeiro 16, 2012

Acabo de ter uma longa conversa com uma grande Amiga...

... e agora só me ocorre um pensamento:

- e que sabes tu da vida, Marta?!?!?!

:P

1 Comentários:

Anonymous Bea disse...

Creio que nunca ninguém sabe, realmente, nada da vida. Afinal, o que é a vida? Há uma vida única, ou cada um faz a sua vida?
Parece-me que não haverá vidas iguais, nem ninguém, alguma vez, poderá dizer, com verdade, que sabe alguma coisa da vida.
A vida, as vidas, são todas diferentes. Cada uma com as suas experiências, com as suas vivências. As vidas que se dizem mais vividas, são aquelas em que, efectivamente, as experiências são muitas (não que sejam que as de outra vida qualquer), as vivências são muitas e variadas.
Saberá um mendigo menos da vida que um CEO de alguma multinacional?
Saberá um padre mais da vida que um viajante?
Penso que o importante é saber retirar de cada momento da vida uma lição, uma aprendizagem, uma experiência, por mais pequena que ela seja. Afinal, de que são feitas as recordações? Nada mais do que o que se reteve dos bons e dos maus momentos da vida, dos balanços que deles se fazem.
Claro que quanto maior as experiências que se vivem, maior capacidade passamos a ter para encarar outras situações, passamos a compreender melhor certos comportamentos ou acontecimentos, torna-mo-nos mais serenos, mais humildes, mais tranquilos nos nossos comportamentos, mais compreensivos em relação aos outros.
Mais do que procurar mostrar que sabemos alguma coisa, procuramos ensinar os outros. Nisso sim, acho, se revela o bom saber viver, no enfrentar cada situação com a serenidade e tranquilidade (serão sinónimos?) que só um saber de experiência feito sabe dar.
Não se preocupe tanto em saber o que sabe da vida, mas antes a viver com tranquilidade.
Que tenha uma boa vida, rica de experiências e repleta de coisas boas.
Um bom 2012 (já lhe tinha desejado bom ano?).

janeiro 19, 2012 1:28 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial