sexta-feira, outubro 05, 2007

E vocês...? Quais são os vossos sonhos mais extravagantes?!?!

"- Caro Feri, aquele terceiro cão não puxa nada bem.
- Infelizmente, o meu chicote é um bocado curto.
- Mas vendo melhor, está também a coxear um pouco.
- Claro que está a coxear, só tem três patas!
- Ah, pois tem... É pena pôr uma animal aleijado em frente do carro!
- Ó Ilonka, veja melhor, Ilonka. Todos os doze cães têm três pés.
- Oh, coitados!
- Porque não tem pena de mim, Ilonka? Eu percorri todos os esfoladores até que conseguir juntar doze cães de três pés.
- Pode ser que não entenda nada do assunto, mas pensava que um cão normal puxa melhor e com mais empenho.
- Não questiono isso. Mas eu sou um verdadeiro citadino. O que faria com doze cães de quatro pés?
- Ó Feri, talvez tenha medo deles?
- Eu tenho medo mesmo da picada de melga. Temos de ter cuidado com as forças da natureza. Digamos que estes cães são de quatro pés. Digamos que ficam descontrolados por alguma razão. Digamos que arrancam o chicote da minha mão... É melhor não pensar nisso, Ilonka!
- Mesmo assim, continuo a não entender. Se receia os cães, por que é que eles puxam o seu carro?
- Porque eu guio mal.
- Isso aprende-se.
- Mais ou menos, Ilonka... O carro e o homem não são partes homólogas.
- Olhe em volta! Não vê nenhum carro puxado por cães!
- Isso é uma grande pena! Infelizmente, o homem já não é capaz de atingir o ritmo do desenvolvimento da técnica. Usar usa, mas na realidade fica atemorizado com ela.
- Eu não tenho medo dos carros.
- Mas este Simca consegue fazer cento e cinquenta quilómetros por hora...
- Não diga isso Feri, eu adoro a velocidade!
- Você é um pouco insaciável. Saímos há dez dias de Budapeste, e olhe, já estamos em Siófok.
- Com doze cães, esse rendimento não me parece grande coisa.
- Claro que não. Só que eu, ainda em Peste, deixei o travão de mão puxado.
- Você não é um pouco cauteloso de mais?
- Todos somos criados exactamente para ter este ritmo.
- Já viu toda esta gente a olhar para nós?
- Estão com inveja.
- Parecem mais admirados.
- Porque vêem que mesmo os nossos sonhos mais extravagantes podem ser realizados."
:)!
Mesmo os nossos Sonhos mais extravagantes podem ser realizados, um dos contos do livro "Histórias de 1 minuto"de István Örkeny
Um livro que se tem revelado... delicioso.
Sim, é uma delícia fazer um intervalo nos dias mais agitados e alhear-me de tudo para ler, pelo menos, uma história! Momentos e histórias que valem... cada minuto!

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial