segunda-feira, fevereiro 13, 2012

«(...) Nem sequer os silêncios... são os mesmos. Ocorriam muitas vezes entre nós, porque uma das coisas mais bonitas... era não nos sentirmos obrigados a fazer conversa. (...) os silêncios eram bons, eram redondos, macios e acolhedores, enquanto agora são incómodos, angulosos e longos. E para ser sincero, são demasiado ruidosos para mim. (...)»

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial